Alma a tostão

 

Nosso futuro prometeu

Mas nada foi alcançado

O que o presente nos deu

Foi o regresso ao passado

 

E assim vamos andando

Como o tal caranguejo

Em ao passado chegando

Bom futuro não antevejo

 

Ouviremos discursos mil

De vãs promessas plenos

Aos vendedores de ilusões

 

Quem assim te fala é vil

Rege-se por bens terrenos

Troca almas por tostões.

publicado por poetazarolho às 23:43 | link do post | comentar