Narrativas

 

Surge-nos na memória

Não a palavra inventada

Mas palavra com estória

Quantas vezes estropiada

 

Por se atribuir significado

Diverso do próprio sujeito

Deformando o predicado

Por ser isso que faz jeito

 

À própria imagem narrada

Que nos vendem a granel

Quais arautos clarividentes

 

Destes tempos que são nada

Onde as torres de papel

São abrigos inconsequentes.

publicado por poetazarolho às 20:32 | link do post | comentar