Abril sem Abril

 

Abril sem Abril à porta

Trinta e nove anos volvidos

Ao povo já não importa

Este país de desvalidos

 

Filhos estão de partida

Vão por esse mundo fora

Buscam esperança perdida

A que o desalento devora

 

Não esperem o seu regresso

Tarde ou nunca voltarão

Pois a nobre pátria ruiu

 

E assim de Abril me despeço

Abril sem Abril é que não

Este Abril ninguém previu.

publicado por poetazarolho às 23:27 | link do post | comentar