À mais alta poetisa

 

Será que faço história

Ao poetar assim consigo

Constitui uma memória

Maior que o meu umbigo

 

Pois imenso em pequenez

Não tem sequer comparação

Com um estado de altivez

Que é inato à Maria João

 

Inato por ser espontâneo

Por brotar de sabedoria

Em palavras sem descrição

 

Em glória é momentâneo

Este pedaço da minha vida

Que agradeço do coração.

publicado por poetazarolho às 19:37 | link do post | comentar