Plasmados

 

Foi na cidade de Deus

Repito, foi nessa cidade

E na hora do adeus

Era imensa a saudade

 

O amor transbordou

Só possível assim seria

Esquecer aquele que sou

Pr’a servir com alegria

 

Plasmeia deslumbrou

Sentimos o homem novo

Que seu destino traçou

 

Seu grito não assustou

Antes fez-nos sentir povo

Do barro que Deus moldou.

publicado por poetazarolho às 23:46 | link do post | comentar