Derradeira jornada

 

Que possa haver luar

Para essa caminhada

Vá sobretudo iluminar

Toda a imensa estrada

 

E a quem acompanhar

Essa derradeira jornada

Em que nos vamos tornar

Quando já não formos nada

 

O deve e haver da vida

Parece não ter terminado

Mas essa é a única verdade

 

Indizível e não decidida

Será o livro desfolhado

Nessa próxima eternidade.

publicado por poetazarolho às 21:58 | link do post | comentar