Intermitências

 

Nas intermitências da vida

Muitas dúvidas te assaltam

Se levas uma vida sofrida

Há coisas que te revoltam

 

Nas intermitências da morte

Vês as coisas com clareza

E agradeces a imensa sorte

Do gesto que trás nobreza

 

Nobreza não vem do título

Tão pouco to dá a riqueza

Vem do coração certamente

 

Onde cada dia é um capítulo

Pleno de gestos raros e beleza

Que só um coração nobre sente.

publicado por poetazarolho às 10:42 | link do post | comentar