O meu primo

 

A velhice em ti só entra

Quando a deixares entrar

Faleceu pr’a lá dos oitenta

E os jovens por ele a chorar

 

Era um dos filhos de Deus

E seu ministro era também

Sempre zelou pelos seus

Por isso lhe queriam bem

 

Eu cá nunca havia visto

Uma exéquia assim tão bela

Gente veio de todo o lado

 

E de Deus tanto ministro

Tão pequena era a capela

Tanto discurso empolgado.

publicado por poetazarolho às 20:12 | link do post | comentar