Um novo olhar II

 

Já não será o mesmo agora

Este mundo ferido de morte

Apunhalam-no a cada hora

E fica entregue à sua sorte

 

Este mundo um dia vai parir

Das entranhas um novo mundo

Mas enquanto esse não surgir

Que este seja assaz fecundo

 

Fecundo de paz ou de guerra

Fecundo de amor ou ganância

Fecundo de ideias ou manhas

 

Sempre em mutação esta terra

Terra de riqueza e abundância

Sejam rasgadas já as entranhas.

 

 

Inspirado em,

http://www.youtube.com/watch?v=mdY64TdriJk

publicado por poetazarolho às 22:25 | link do post | comentar