Sábado, 27.07.13

Castelo em chamas

 

Saber as regras do jogo

Num tabuleiro viciado

Não é fácil a um povo

Onde o próprio é jogado

 

Como carne pr’a canhão

Vendo seu sangue sugado

Com a dignidade pl’o chão

Vendo seu ventre rasgado

 

Cantam-lhe uma canção

Como cante de sereias

Pr’ó manter anestesiado

 

Já não há povo no sertão,

... rei lançado das ameias

Todo o jogo foi queimado.

publicado por poetazarolho às 19:19 | link do post | comentar | ver comentários (3)
Quarta-feira, 24.07.13

Forças cruzadas

 

Força não está em mim

E em ti também não

Que uma força assim

Só provem desta união

 

Crescem frutos no jardim

Cuidados com o coração

Regados com amor sem fim

Fazem despontar a educação

 

Para que cresçam sem risco

Crianças felizes teremos

Iluminadas por esta luz

 

Tal como o Papa Francisco

Ouro e prata não queremos

Tragam-nos apenas Jesus.

publicado por poetazarolho às 20:27 | link do post | comentar | ver comentários (2)
Domingo, 21.07.13

Recriar

 

Já não tenho expectativa

Nem com Deus a ajudar

Anda tudo à deriva

É preciso recriar

 

Sistema vindo do nada

Com big bang estridente

Que construa a estrada

Dum caminhar diferente

 

Que essa grande implosão

Impluda o Deus dinheiro

Trazendo nova semente

 

Que nos abra o coração

E mostre que o primeiro

Nem sempre segue na frente.

publicado por poetazarolho às 17:39 | link do post | comentar
Quinta-feira, 18.07.13

Democracia de sangue

 

O nosso império caiu

Com muita pena minha

Esperança que nele tinha

Como esse império ruiu

 

Das ruínas logo surgiu

Essa semente miudinha

Duma esperança novinha

E que nunca se cumpriu

 

Porque os seus assassinos

Criminosos por vocação

Optam pela demagogia

 

Aguçam os dentes caninos

Sugam o sangue à nação

Pr’a pintar a democracia.

publicado por poetazarolho às 17:42 | link do post | comentar | ver comentários (2)
Terça-feira, 16.07.13

Valores perdidos

 

A verdade é radical

E incomoda muita gente

Nesta época especial

De mentira deprimente

 

Tudo é ruído infernal

Repetido insistentemente

Até a verdade essencial

É ocultada precocemente

 

Pelo que nos impingem

E nos coloca no sarilho

Em que estamos metidos

 

Vamos voltar à origem

Para redescobrir o trilho

Desses valores perdidos.

publicado por poetazarolho às 23:34 | link do post | comentar | ver comentários (3)
Quarta-feira, 03.07.13

Tudo será

 

Um dia tudo será

Se essa luta persistir

Ou então tudo morrerá

Se pensares em desistir

 

A chama se extinguirá

Verás o teu edifício ruir

E alguém se ocupará

De ao nada te reduzir

 

Mas ao inferno não desças

Não sigas esse caminho

Que é de auto destruição

 

Faz um trilho às avessas

E pela estrada do carinho

Caminha com determinação.

publicado por poetazarolho às 21:19 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Favorito

mais sobre mim

links

posts recentes

últ. comentários

Posts mais comentados

arquivos

pesquisar neste blog

 

subscrever feeds

blogs SAPO