Terça-feira, 31.12.13

Petit Madiba

 

Sejamos pequenos Mandelas

Não nos deixemos aprisionar

Seja por países ou vielas

Procuremos sempre lutar

 

Pois um espírito aprisionado

Num corpo em liberdade

Não vale um corpo enjaulado

Com espírito de verdade

 

Fruto da luta constante

Que soubermos arriscar

Novas conquistas surgirão

 

Impossível só fica distante

Para quem o não tentar

Quem tenta tem-no à mão.

publicado por poetazarolho às 00:39 | link do post | comentar | ver comentários (3)
Domingo, 29.12.13

Drone

 

Já traficam o ser humano

E também a consciência

Já endeusam o profano

Julgam-se sãos na demência

 

Futuro assim traficado

Não constituirá memória

Por certo será negado

Nunca fará parte da história

 

Nem a história existirá

Pr’a memória do presente

O passado branqueará

 

Ser humano será inexistente

Drone o futuro assumirá

Neste que é o tempo presente.

publicado por poetazarolho às 23:34 | link do post | comentar | ver comentários (8)
Terça-feira, 24.12.13

Natal indolor

 

O Natal está indolor

Numa passada feroz

Já não sente a tua dor

Já não ouve a tua voz

 

E ao teu grito sentido

Não lhe entende a razão

Este Natal está ferido

Por nascer sem coração

 

Prematuro irá morrer

Pois não soube acarinhar

Em toda a sua dimensão

 

Quem acabou de nascer

Com a missão de amar

Matando-o sem compaixão.

publicado por poetazarolho às 18:44 | link do post | comentar | ver comentários (2)
Domingo, 22.12.13

Realidade

 

É real a realidade

E também a ficção

Contra a tua verdade

Muitas mentiras virão

 

Existe a possibilidade

De haver uma implosão

Lançarão sem piedade

Chamas que consumirão

 

Essa realidade inventada

Quando outras falharão

Alguma terá que se impôr

 

E se não existir mais nada

Podes abrir teu coração

A esta realidade de amor.

publicado por poetazarolho às 21:51 | link do post | comentar | ver comentários (6)
Sexta-feira, 20.12.13

Natal contigo

 

O natal sem abrigo

É possível apenas

Porque olham o umbigo

As consciências pequenas

 

Não interessa o amigo

Mas as delícias terrenas

O mesmo se passa contigo

Vês o teu abrigo apenas

 

Podia ser bem diferente

Se amar fosse natural

Mas aprendes a odiar

 

Quase que naturalmente

Por isso não é natal

Se não te puderes abrigar.

publicado por poetazarolho às 00:44 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Terça-feira, 17.12.13

Desigualdade

 

Igualdade é utopia

Pois tudo é desigual

É um gasto de energia

Discussão sobre o igual

 

Mesmo a meio cortada

Essa simetria perfeita

De igualdade imaginada

Resulta logo desfeita

 

Na desigualdade real

A vida adquire beleza

E também a harmonia

 

Esta verdade fundamental

É uma lei da natureza

Logo não se contraria.

publicado por poetazarolho às 23:51 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Segunda-feira, 16.12.13

Aparenta

 

Se vives da aparência

Acabarás por não ser

Nem terás consciência

Apenas queres parecer

 

Assim vives ocupado

Na tua não existência

E acabarás destronado

Pelo que julgas vivência

 

Mas que é apenas vazio

Preenchido com a presença

Dessa existência aparente

 

Essa realidade é desvio

Que cedo leva à descrença

E torna o ser inconsciente.

publicado por poetazarolho às 00:28 | link do post | comentar | ver comentários (2)
Sexta-feira, 13.12.13

Rascunhos

 

A limpo não passamos

Nossa alma rascunhada

Mas com o tempo lidamos

E o tempo não quer nada

 

O carrilhão da memória

Ressoa a vida passada

O rascunho não é história

Da vida sempre apressada

 

O tempo sem nada querer

Ficará dono da vida

E dos rascunhos também

 

Acabamos por nos perder

Numa imensa avenida

Onde se passeia ninguém.

publicado por poetazarolho às 19:16 | link do post | comentar | ver comentários (2)
Quarta-feira, 11.12.13

It's Time

 

Eu, a pessoa do ano

Saio à noite em surdina

Gesto simples e humano

Despojado da batina

 

Transbordando em amor

Procuro o irmão sem nada

Tento aliviar-lhe a dôr

Indicar-lhe nova estrada

 

Uma estrada milenar

Para que se saia disto

Deste estado de pobreza

 

Que nos está a matar

Procuro ser igual a Cristo

Sem estar pleno de certeza.

publicado por poetazarolho às 20:21 | link do post | comentar
Segunda-feira, 09.12.13

Sublinhar

 

Os livros sublinhar

E sobretudo a vida

Com amor para dar

Duma forma decidida

 

Ao sublinhar assumo

Dia a dia sem descanso

O construir do resumo

Que em jeito de balanço

 

Será um dia recordado

Por alguém ao passar

Na biblioteca perdida

 

De resumos do passado

Onde quem soube amar

Deixou a marca devida.

publicado por poetazarolho às 22:42 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Favorito

mais sobre mim

links

posts recentes

últ. comentários

Posts mais comentados

arquivos

pesquisar neste blog

 

subscrever feeds

blogs SAPO