Quarta-feira, 31.12.14

A escolha

A escolha.jpg

Adeus ao ano cinzento

Outros mais negros virão

Anos azuis se revelarão

Ao olharem o firmamento

 

Com nosso consentimento

Doutras côres surgirão

Por certo surpreenderão

Fazendo jus ao pensamento

 

Pela humanidade escolhido

Esse que guiará o crer

Segredo está no escolher

 

Côr do ano pretendido

Se fôr morta há-de morrer

Se fôr viva há-de viver.

publicado por poetazarolho às 21:31 | link do post | comentar | ver comentários (3)
Segunda-feira, 29.12.14

Teoria perdida

Teoria perdida.jpg

Instante no infinito

Infinito em nós reside

Ao nosso saber finito

A sabedoria preside

 

Confere intemporalidade

No tempo é perpetuada

Num caminho sem idade

Onde não se avista nada

 

Por certo é a eternidade

Que nos leva a procurar

Essa teoria perdida

 

Reveladora da verdade

Que nos fará preservar

Os valores da própria vida.

publicado por poetazarolho às 21:34 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Quarta-feira, 24.12.14

Reencontro

Reencontro.jpg

Ao ano que vem

Ele trará esperança

Nascido em Belém

Sob estrela que dança

 

Pregado na cruz

Mas não derrotado

Seu nome é Jesus

Hoje reencontrado

 

Enumera a doença

Do poder instalado

Que se julga imortal

 

Mas cairá em descrença

Se não vir renovado

O seu voto ancestral.

publicado por poetazarolho às 11:10 | link do post | comentar | ver comentários (8)
Terça-feira, 23.12.14

Vós Sabeis

Vós sabeis.jpg

É Natal e vós sabeis

O menino há-de nascer

E para guiar os reis

A estrela há-de aparecer

 

Trinta e três anos volvidos

Um outro rei surgirá

A ninguém dará ouvidos

E o menino matará

 

Toda a voz dissonante

Tende a ser distorcida

Desde tempo ancestral

 

De todas a mais importante

Foi prova de amor e vida

E vós sabeis é Natal.

publicado por poetazarolho às 17:32 | link do post | comentar | ver comentários (5)
Quarta-feira, 17.12.14

Escuridão

Escuridão II.jpg

Tenho pena desse irmão

Que crianças assassina

É desprovido de coração

Tem a mente pequenina

 

Apresentou justificação

Nada o pode justificar

Não pode obter perdão

Não se pode vangloriar

 

Em face desta escalada

Às profundezas do inferno

Não resta nenhuma opção

 

Humanidade está condenada

À dureza dum inverno

Em que as trevas voltarão.

publicado por poetazarolho às 01:28 | link do post | comentar | ver comentários (3)
Domingo, 07.12.14

Ventania

Ventania.jpg

Palavras leva-as o vento

E o vento também as traz

Sob o céu muito cinzento

Pode ser crítica mordaz

 

Pode ser brisa d'esperança

Pode bem ser um furacão

Ou são ventos de mudança

Esses que não mudam não

 

Mil maneiras de ventar

Mil e uma de bacalhau

Quando é p'ra cozinhar

 

Mas o vento a assobiar

Não tem um discurso mau

Na prática é p'ra enganar.

publicado por poetazarolho às 20:10 | link do post | comentar | ver comentários (4)
Quarta-feira, 03.12.14

Sub-homens

Sub-homens.jpg

Homem é sub produto

Duma vida acelerada

No futuro seu substituto

Não será homem nem nada

 

Mas apenas um tributo

Perdido numa enseada

Pois não soube ser astuto

Ao ver-se na encruzilhada

 

Seguindo a pior opção

Esgotou sua capacidade

Viu seu ego assaltado

 

Envolto num turbilhão

Vida adquiriu velocidade

E o ser foi ultrapassado.

publicado por poetazarolho às 22:56 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Favorito

mais sobre mim

links

posts recentes

últ. comentários

Posts mais comentados

arquivos

pesquisar neste blog

 

subscrever feeds

blogs SAPO