Quarta-feira, 29.04.15

Adoração

Adoração.jpg

Não se vê a mortandade

Não se lhe sente o cheiro

Procura-se a santidade

Aos pés do deus dinheiro

 

E as mentiras repetidas

Passam a ser verdades

Normalmente proferidas

P’ra branquear atrocidades

 

E na verdade esgotados

Já não temos salvação

A toda a hora enganados

 

P’la mentira em profusão

Cremo-nos injustiçados

Esta é a humana condição.

publicado por poetazarolho às 23:27 | link do post | comentar | ver comentários (2)
Domingo, 26.04.15

Navegar

Navegar.jpg

No mar de dúvidas navega

Quem se propõe navegar

A bom porto nunca chega

O que não se faz ao mar

 

Anda irmão navegador

Empresta o teu coração

Onde embarca tanta dor

Da tu’alma e desse irmão

 

E quando avistarem a luz

Mais a embarcação balança

Que a vaga não se reduz

 

Ao navegar na esperança

Mas por certo com Jesus

É no amor que se avança.

publicado por poetazarolho às 06:49 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Sábado, 25.04.15

Mente vazia

Mente vazia.jpg

Dores de parto mental

Se a mente me recusa

Aquilo que é fundamental

A quem da mente abusa

 

Fico pois em sobressalto

Procurando o que é meu

Não encontro valor mais alto

Parece que o mundo morreu

 

Retrato de pura ilusão

Silêncio tudo envolveu

Já não tomo a decisão

 

Está escuro como breu

Tempo é uma imensidão

Pois quem morrera fui eu.

publicado por poetazarolho às 01:55 | link do post | comentar | ver comentários (2)
Segunda-feira, 20.04.15

Normalidade

Normalidade.jpg

A bem da normalidade

Quero que sejas normal

Pois julga-te a sociedade

E o seu julgamento é fatal

 

Seremos assim normais

Por essa redutora bitola

Mas assim somos demais

Por sermos tão bons da tola

 

Maluquinhos indefesos

Paranóicos e anarquistas

Pelas ideias são presos

 

Presos foram os artistas

Que os normais são coesos

Não permitem outras vistas.

publicado por poetazarolho às 21:16 | link do post | comentar | ver comentários (5)
Sexta-feira, 17.04.15

Matarás

Matarás.jpg

E Deus criou o mundo

Com toda a dedicação

P’ra que o ser no fundo

Encete a sua destruição

 

Em nome Dele matar

Parece ser a profissão

A que mais está a dar

Beneplácito da redenção

 

Disse-nos não matarás

Não terá sido ouvido

Nesta Sua prelecção

 

Devem fazer marcha atrás

Aqueles que sem sentido

Matam em nome da religião.

publicado por poetazarolho às 23:29 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Terça-feira, 14.04.15

Sintonias

Sintonias.jpg

Sintoniza o universo

Escutas as constelações

Esse é um modo diverso

De ouvir lindas canções

 

Formas de onda e energia

Luzes, côr e sedução

Sem ele nada existiria

Parte em busca da emoção

 

Estas são as sintonias

Únicas fontes de verdade

Que ninguém contaminou

 

Aproximam-se novos dias

Em que sentirá saudade

Quem não o sintonizou.

publicado por poetazarolho às 22:52 | link do post | comentar | ver comentários (2)
Domingo, 12.04.15

Hey Jesus

Hey Jesus.jpg

Se pareço o que sou

Sou aquilo que pareço

Então sem máscara vou

Em busca do que mereço

 

Parto em busca de nada

P’lo prazer de caminhar

Sinto merecida a jornada

Se alguém puder ajudar

 

Tenho toda a recompensa

Se me esboçam um sorriso

Sinto leve a minha cruz

 

Subir ao monte compensa

À montanha se fôr preciso

Sinto a ajuda de Jesus.

publicado por poetazarolho às 20:26 | link do post | comentar | ver comentários (3)
Sexta-feira, 10.04.15

Mundos

Mundos.jpg

E o mundo acabou

No ano 2000 por suposto

Logo a festa terminou

Logo o rei foi deposto

 

Tudo quanto sobejou

Foi um enorme desgosto

Nunca mais ninguém chorou

Nunca mais houve Agosto

 

Sem mundo vamos vivendo

Suspensos em pensamentos

De quem se digna pensar

 

Sem pensamento morrendo

Todos os nossos momentos

Nos mundos vão terminar.

publicado por poetazarolho às 22:23 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Segunda-feira, 06.04.15

Sem cabeça

Sem cabeça.jpg

Existe estado de guerra

Quase sempre ignorado

Desde a origem na terra

Deste ser muito avançado

 

Não por ser um inimigo

Não por ser uma ameaça

Não por representar perigo

Nem por ser de outra raça

 

Mero interesse de poder

Mero interesse da finança

Para que uma parte floresça

 

Alguns têm que perecer

Muitos viver sem esperança

E outros ficar sem cabeça.

publicado por poetazarolho às 23:09 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Favorito

mais sobre mim

links

posts recentes

últ. comentários

Posts mais comentados

arquivos

pesquisar neste blog

 

subscrever feeds

blogs SAPO