Sexta-feira, 26.06.15

Dementes

Dementes.jpg

Além do corpo e da mente

Numa fronteira distante

Realizou-se plenamente

Uma ideia fulgurante

 

Sem corpo a aprisionar

Seus movimentos velozes

Sem mente a condicionar

Livre assim de algozes

 

Pôde essa ideia fluir

Veloz como um turbilhão

Outras ideias produzir

 

Sem gerar a confusão

Essa que costuma surgir

De mentes em corpo são.

publicado por poetazarolho às 21:00 | link do post | comentar | ver comentários (4)
Sábado, 20.06.15

Tragédias

Tragédias.jpg

Caminhar de mão dada

Forte emoção sentirás

Ao longo dessa estrada

Pois teu irmão ajudarás

 

Mais que o ter ou o ser

Essência está no ajudar

Pois no final vais esquecer

De sequer te mencionar

 

Toda a gente é ninguém

Ilusões da natureza

Tragédias da evolução

 

Em consciência convém

Que toda essa aspereza

Se traduza por emoção.

publicado por poetazarolho às 19:56 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Domingo, 14.06.15

Nada somos

Nada somos.jpg

Se tu passas pela vida

Ou a vida passa por ti

Poderá dizer, eu vivi

Vida descomprometida

 

Mas se ela te agarra

E tu não a deixas fugir

Escutas a vida a rugir

Assim mostras tua garra

 

Não será de conforto

Terás muito que correr

Que a vida é p’ra viver

 

Pois se te fizesses morto

Apenas ficarias a saber

O que seria nunca ser.

publicado por poetazarolho às 23:48 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Quinta-feira, 11.06.15

Dissonâncias

Dissonâncias.jpg

Um passado perfeito

Um presente brilhante

Num futuro desfeito

Em esperança distante

 

Num mundo contrafeito

P’la estupidez galopante

Qual harmonia sem jeito

Parindo a razão dissonante

 

Donde a seguir nascerá

A ideia mais aberrante

Concorrente dessa razão

 

Posto isto morrerá

Toda a ideia marcante

Sinónimo de indignação.

publicado por poetazarolho às 22:37 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Terça-feira, 09.06.15

Sê apenas

Sê apenas.jpg

Ele não dorme acordado

Mas o seu povo na terra

Deixa-o atormentado

Só pensa fazer a guerra

 

Sua receita de paz

Polvilhada por amor

Seu desígnio aqui jaz

Sob o manto do horror

 

Mais forte o chamamento

De desígnios inferiores

Petróleo, diamantes e ouro

 

A vida é um momento

Só serás aquilo que fores

Sê tu próprio o tesouro.

publicado por poetazarolho às 22:58 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Domingo, 07.06.15

Viagens à la carte

Viagens à la carte.jpg

Não acordes c’os acordes

Deixa-te estar embalado

Sobrevoa os fiordes

Nessa poltrona deitado

 

Vais poder vislumbrar

Entre encostas escarpadas

Uma imensidão de mar

Outrora massas geladas

 

No dó sustenido vibrado

Sentir-te-ás a sobrevoar

E num solo sincopado

 

Farás parte da massa de ar

Que o acorde bem afinado

Te ofereceu p’ra viajar.

publicado por poetazarolho às 21:07 | link do post | comentar | ver comentários (3)

Favorito

mais sobre mim

links

posts recentes

últ. comentários

Posts mais comentados

arquivos

pesquisar neste blog

 

subscrever feeds

blogs SAPO