Quarta-feira, 26.08.15

Análise sináptica

Análise sináptica.jpg

Sinapse extraordinária

Estabeleceu a ligação

E duma forma sumária

Ligou cérebro ao coração

 

Formou ligação binária

Onde flui informação

E numa base paritária

Juntou amor e razão

 

Uma análise realizou

Baseada no que sentia

Outra em racionalização

 

Resultado a que chegou

P’ra salvar a economia

Destrói-se a civilização.

publicado por poetazarolho às 23:13 | link do post | comentar | ver comentários (2)
Terça-feira, 25.08.15

Conhecer a ilha

Conhecer a ilha.jpg

Rema p’ra fora de ti

Duma forma decidida

Vê a ilha que eu não vi

Quando s’está de partida

 

Navega em alto mar

Sem o corpo e a mente

Busca forma de navegar

Só com a alma presente

 

Regressa à existência

Agora mais consciente

Dessa face desconhecida

 

Vive nova experiência

Numa ilha diferente

E enceta nova partida.

publicado por poetazarolho às 04:39 | link do post | comentar | ver comentários (7)
Sexta-feira, 21.08.15

Transcendências

Trancedências.jpg

Transcendente serei

Se a minh’alma crescer

Sem que seja mago ou rei

Mais disposto a aprender

 

O pensamento elevarei

Além desta realidade

Direito que conquistei

De acesso à criatividade

 

Consciência não limitarei

No caminho a percorrer

Ainda que possa perder

 

O que nunca possuirei

Se a minh’alma morrer

Sem sequer se transcender.

publicado por poetazarolho às 00:09 | link do post | comentar | ver comentários (2)
Terça-feira, 18.08.15

Reversão

Reversão.jpg

Homem deve acreditar

Naquele que é seu irmão

Mesmo se atira a matar

Por certo tem uma razão

 

Deve a mesma sondar

E atirar-lhe ao coração

Para assim o desarmar

Mostrando compreensão

 

E desta forma alterar

O estado de evolução

Que parece imperar

 

Levando-nos à extinção

Ou a um estado larvar

Acaso não haja reversão.

publicado por poetazarolho às 20:45 | link do post | comentar | ver comentários (2)
Segunda-feira, 17.08.15

Nada mais

Nada mais.jpg

Dobro de nada é nada

Mas em dobro sabe bem

Se em dobro te é dada

A alegria toda de alguém

 

Mais que isso não tivesse

Metade de nada te daria

E se outro alguém viesse

A outra metade levaria

 

E de tudo o que tivera

Assim nada me sobraria

Porque em dobro eu dera

 

Para proporcionar alegria

A quem tudo detivera

Mas que nunca sorriria.

publicado por poetazarolho às 21:27 | link do post | comentar | ver comentários (2)
Quarta-feira, 12.08.15

Nova esperança

Nova esperança.jpg

Desalento pode ser lento

Mas se entra em erupção

Transforma-se no fermento

Que despoleta a revolução

 

É o ponto zero do evento

Início duma construcção

Contém água e cimento

Também ferro e betão

 

E um novo muro avança

Punhos, vozes, a marchar

São gente em contestação

 

Em busca de nova esperança

Que não logram alcançar

Na sua actual situação.

publicado por poetazarolho às 21:45 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Terça-feira, 11.08.15

Desequilíbrios

Desequilíbrios.jpg

Equilíbrio se desequilibra

Ao pressionar um botão

Tudo à nossa volta vibra

Com o poder da explosão

 

Neste mundo de loucura

E por loucos governado

Nem sempre a paz perdura

Sendo a guerra o resultado

 

Dando milhões a ganhar

Elegendo presidentes

Não há forma de tapar

 

O que se diz entre dentes

Só vale morrer ou matar

Não valem nada as gentes.

publicado por poetazarolho às 23:39 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Segunda-feira, 10.08.15

100 %

100 %.jpg

Essa forma de pensar

Que usa o pensamento

Essa forma de lutar

Que combate o desalento

 

Essa forma de sonhar

Que sonha cada momento

Essa forma de amar

Que ama com sofrimento

 

Essa forma de caminhar

Onde caminhas sedento

Essa forma de meditar

 

Onde meditas isento

Essas formas de estar

Onde estás cem por cento.

publicado por poetazarolho às 19:52 | link do post | comentar | ver comentários (2)
Domingo, 09.08.15

Consciências

Consciências.jpg

Uma ou duas não eram

As vozes na consciência

Nem nos becos da demência

Onde ideias proliferam

 

Onde as regras não imperam

Mas as regras da vivência

Superam insuficiência

Daquilo que não viveram

 

Em frestas de subsistência

Aqueles que dizem não

A um mundo colorido

 

Produto da subserviência

A promessas de construcção

Que negam o prometido.

 

publicado por poetazarolho às 19:47 | link do post | comentar | ver comentários (2)
Sábado, 08.08.15

That river

That river.jpg

Cry me a river in blue

Might cry me some drops

Of your deepest true

Emotions over the tops

 

Emotions broken down

Whenever you feel apart

The river’s sometimes brown

And the drops drop in art

 

And the art fulls the heart

And the heart feels around

No matter the emotions are

 

But mind will never distract

No matter the emotions found

That river never been so far.

publicado por poetazarolho às 23:26 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Favorito

mais sobre mim

links

posts recentes

últ. comentários

Posts mais comentados

arquivos

pesquisar neste blog

 

subscrever feeds

blogs SAPO