Quinta-feira, 31.12.15

Próximo ao próximo

Próximo ao próximo.jpg

 

Olha o teu semelhante

Cuida das suas mazelas

Não te faças importante

Abre portas e janelas

 

Abre também o coração

A todo um novo ideário

Que o sentido da acção

Possa ser o seu contrário

 

Pois só na diversidade

Saberemos encontrar

Sentido p'rá plenitude

 

Desejemos na verdade

Que o desejo de ajudar

Se transforme em atitude.

publicado por poetazarolho às 20:13 | link do post | comentar | ver comentários (4)
Segunda-feira, 28.12.15

Votos a um ano

Votos a um ano.jpg

De onde venho não sei

Pra onde vou eu sei lá

Na maré vazia caminharei

Sempre do lado de lá

 

Saber tudo de nada

E saber de nada convém

Na maré cheia a caminhada

Do lado de lá também

 

Somos gota no universo

Nas asas do sonho voando

Aterrando em lugar nenhum

 

Escutando silêncio disperso

Do novo ano espreitando

Que não seja apenas mais um.

publicado por poetazarolho às 21:43 | link do post | comentar | ver comentários (5)
Domingo, 27.12.15

Errâncias

Errâncias.jpg

Pai nosso que estais

Ou não estais ainda

Acode aos demais

A guerra não finda

 

Tempos imemoriais

Onde esperança vã

Deixou seus sinais

Peugadas de satã

 

Marcam a existência

De forma constante

E com persistência

 

Mas sempre distante

Surge a consciência

Consciente e errante.

publicado por poetazarolho às 22:54 | link do post | comentar | ver comentários (5)
Terça-feira, 22.12.15

Tempos

Tempos.jpg

Tempo de tempo sem tempo

Com a alma enclausurada

Muitas promoções a destempo

Que não te oferecem nada

 

São promessas de fartura

Num tempo de ilusão

E enquanto a ilusão dura

Não existe lugar à razão

 

Buscando o tempo perdido

Vais correndo e tropeçando

Atingindo cedo a exaustão

 

A quem não tiver corrido

Muito tempo verá sobrando

Para completar a missão.

publicado por poetazarolho às 23:17 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Terça-feira, 15.12.15

Cem anos

Cem anos.jpg

Cem anos de solidão

Abismo sentimental

Sejam agora ou não

Sendo apenas sinal

 

Cem anos de solidão

Entre o bem e o mal

Apenas esse senão

O abismo é fatal

 

Cem anos de solidão

Entre supremo juízo

Cem anos de solidão

 

Não pagam o prejuízo

Cem anos de solidão

Apagaram o sorriso.

publicado por poetazarolho às 00:11 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Domingo, 13.12.15

E=mc2

E=mcc.jpg

Hoje é dia de encontro

Com o oxigénio parido

Em atmosferas d’espanto

Plenas de azoto sofrido

 

Passam no crivo entretanto

Moléculas d’esperança

Mas o hidrogénio é tanto

Jurando logo vingança

 

Terão desfecho fatal

A cada inspiração

Sendo o dióxido lançado

 

Com uma força abissal

Donde resulta a explosão

Num futuro já passado.

publicado por poetazarolho às 22:06 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Quarta-feira, 09.12.15

Essência

Essência.jpg

Humanidade acorrentada

Sem possuir visão global

Não pôde ser preservada

O egoísmo foi-lhe letal

 

Depressa foi esmagada

Pela visão individual

Uma célula foi afastada

Desse destino fatal

 

Iniciou uma caminhada

De regresso ao essencial

Cedo tomou consciência

 

Que a essência é o nada

Donde tudo pode afinal

Brotar pleno de essência.

publicado por poetazarolho às 23:10 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Favorito

mais sobre mim

links

posts recentes

últ. comentários

Posts mais comentados

arquivos

pesquisar neste blog

 

subscrever feeds

blogs SAPO