Segunda-feira, 29.08.16

Exaustão

Exaustão.jpg

Guerra está em crescendo

Não é sítio para viver

Por aquilo que vou vendo

Será o ideal p’ra morrer

 

As almas assim jogadas

Neste imenso lodaçal

Serão apenas lembradas

Como imagem infernal

 

Terão o minuto de fama

Em qualquer telejornal

Até à completa extinção

 

À guerra não se reclama

Este dano colateral

Da morte por exaustão.

 

publicado por poetazarolho às 23:05 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Quinta-feira, 25.08.16

Expansão

Expansão.jpg

Uma mente consciente

Em fervilhante ebulição

Não lhe fico indiferente

Exijo a sua expansão

 

Essa forma evidente

Não encontra tradução

Eis que surge na corrente

O lugar à contradição

 

Surgirá máximo expoente

Quer acreditem ou não

Pois nasce consequente

 

A presente revolução

Que se inicia na mente

Com destino ao coração.

publicado por poetazarolho às 23:35 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Segunda-feira, 22.08.16

Endereços

Endereços.jpg

Sem tempo p’rá humanidade

Nem a humanidade para mim

E p´ra vos falar a verdade

Prevejo que será até ao fim

 

Mas diz-nos a universalidade

Cada ser foi endereçado assim

Com uma dada particularidade

Sendo pó do mesmo jardim

 

Foi entregue à existência

Com toda a sensibilidade

Mas perdeu-se na essência

 

Vagueia p’la intelectualidade

Onde busca com insistência

Razão para tanta maldade.

publicado por poetazarolho às 22:30 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Quinta-feira, 11.08.16

Infernos

Infernos.jpg

Já houve outros infernos

E o de Dante também

Mas nos tempos modernos

Consegue-se ir mais além

 

Do inferno da indiferença

Ao inferno da sofisticação

Tens que ter uma licença

Mas nunca terás perdão

 

És culpado por existir

Por isso tens que pagar

Para o inferno manter

 

Não deves sequer ouvir

Nem ouses dele falar

Muito menos tentes ver.

publicado por poetazarolho às 05:19 | link do post | comentar | ver comentários (3)
Quinta-feira, 04.08.16

Irreal

Irreal.jpg

Se existe a realidade

Pode andar desfasada

Afastada da verdade

E em nada preocupada

 

Mas se acaso não existe

Há razões para preocupação

Pois todo o mundo insiste

Em que é real a situação

 

Deste viver desligado

Face aos valores morais

Onde só o ter importa

 

Fomos do ser amputado

Nunca mais seremos reais

Nesta realidade já morta.

publicado por poetazarolho às 00:12 | link do post | comentar | ver comentários (3)
Terça-feira, 02.08.16

Grito à humanidade

Grito à humanidade.jpg

Humanidade és prioritária

Mas que se passa contigo?

Qualquer causa humanitária

Resolve-se no teu umbigo!

 

Umbigo centro de gravidade

Pode levar-te à solução

Desde que a prioridade

Seja outra e essa não

 

Energia vem do alto,

Raízes fortes no chão

Tronco sempre vertical

 

Pronto para esse assalto,

Umbigo dar-te-á impulsão

Pois a sua energia é fulcral.

 

publicado por poetazarolho às 23:57 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Favorito

mais sobre mim

links

posts recentes

últ. comentários

Posts mais comentados

arquivos

pesquisar neste blog

 

subscrever feeds

blogs SAPO