Cala-te Narciso

 

Sonhos estão em metamorfose

Pelo menos eu assim acredito

Ou será utopia em grande dose

Tal como Narciso me havia dito

 

Não sei mas perguntei ao Dalí

Que me respondeu em abstracto

Mas confesso que sobrevivi

Apesar da utopia ser um facto

 

Cala-te Narciso, respondi eu

Não quebres ao mestre o pensar

Espera a metamorfose acontecer

 

Mas o mestre já não respondeu

Parou, pensou e desatou a pintar

Assim Narciso acabava de renascer.

publicado por poetazarolho às 01:13 | link do post | comentar