Fala do homem roubado

 

Venho da terra assombrada

Onde o passado foi terrível

Não pretendo roubar nada

Dirijo-me ao futuro possível

 

Só quero o que me é devido

Se alguma coisinha sobejar

Que nem sequer fui ouvido

Mas vi-os todos a roubar

 

Ficaram lindas promessas

Ficou esta terra arruinada

E o dinheiro desapareceu

 

Deixam tudo às avessas

Não pretendo roubar nada

Mas o roubado fui eu.

publicado por poetazarolho às 23:41 | link do post | comentar