Greve

 

Minha greve está guardada

Para uma histórica ocasião

Quando desatarem à porrada

Eu entro de manifesto na mão

 

Depois de tod’a gente aviada

Apelando à desmobilização

De toda esta enorme cegada

Onde não acaba a corrupção

 

E se nomeia outra comissão

Mas a conclusão deu em nada

E a corrupção saiu reforçada

 

Sugando os fundos à nação

Que assim se vê defraudada

Esta nação anda enfeitiçada.

publicado por poetazarolho às 23:31 | link do post | comentar