Alma, céu e mar

 

Navegar é preciso

Disse um dia o poeta

Mas para ser conciso

Vejo navegadores da treta

 

Falou também do sal

Da alma, do céu e do mar

Mas não conheceu Portugal

Que agora está a chegar

 

Vou fingir que não sinto

A dor que estou a sentir

Vou dizer que não minto

 

Cada vez que vos mentir

E aquilo que pressinto

Não o estou a pressentir.

 

http://www.youtube.com/watch?v=UZkLt1vt2hI&feature=related

publicado por poetazarolho às 23:49 | link do post | comentar