Os boys e o antílopes

 

Naquela imensa pradaria

Uma longa cerca a dividia

Dum lado abundância havia

Do outro pouco se comia

 

Dum lado luzidios boys a comer

Do outro os antílopes a sofrer

Selvagens tentavam sobreviver

Mas um dia quem havia de dizer

 

Acabou na pradaria a abundância

Pr’a comer era preciso labutar

Boys acabaram por definhar

 

Antílopes sem qualquer relutância

Magros e selvagens mas a lutar

Ainda hoje por lá devem andar.

publicado por poetazarolho às 18:12 | link do post | comentar