Espiral louca

 

Sustentável leveza de não ser

É forma de existir confortável

Na actual sociedade do ter

Em que viver é insustentável

 

Podes existir, não mais viver

Existes e de forma inalienável

Concedem-te direito a sobreviver

Numa espiral louca e inenarrável

 

Agradeces a benesse concedida

A quem te oferece a sobrevivência

Se te permitissem mais irias sofrer

 

Assim tens existência protegida

Contra um estado de demência

Como alternativa emigrar ou morrer.

publicado por poetazarolho às 21:41 | link do post | comentar