Sierra Madre

 

El comandante supremo

De lutas há muito perdidas

Não chegou a estar enfermo

Mas curou muitas feridas

 

Só não pôde ser curado

Das que lhe floram infligidas

Por feridas assassinado

Essas que nos eram devidas

 

Mas que com ele partiram

Sei que muitas mais partirão

Pois não há luta de verdade

 

Os que a luta assumiram

Foram comprados a tostão

P’ra mal da humanidade.

 

http://premios-prosa-poetica.blogs.sapo.pt/31980.html?mode=reply#reply

publicado por poetazarolho às 20:39 | link do post | comentar