Sem abrigo

 

 O nosso país tombou

No beco da agiotagem

Não pelo que se gastou

Mas pela sua voragem

 

Com futuro hipotecado

A liberdade, essa finou

Resta apenas o mercado

E o que por cá nos deixou

 

Desemprego em ascensão

Impostos sempre a subir

E o crédito mal parado

 

Levaram a casa e o carrão

Já não tenho onde dormir

Temos o caldo entornado.

publicado por poetazarolho às 23:55 | link do post | comentar