Consumo logo existo

 

Esta crise é existencial

Não há vida além do cifrão

Por isso não passamos mal

S’a existência é uma ilusão

 

Enquanto humano não existes

Apenas enquanto consumidor

E se ao consumo resistes

Agrava-se o estado de dor

 

Que o consumo é anestesia

Para a paralisia mental

Que nos tolda a razão

 

Consumamos com alegria

Cérebro humano é genial

Transforma consumo em paixão.

publicado por poetazarolho às 21:25 | link do post | comentar