Mar de letras

 

Império dos sonetos

Nunca irá colapsar

Com música repletos

São sonetos d’encantar

 

Ouço um de manhãzinha

Dá-me o alento diário

E depois um à tardinha

P’ro descanso necessário

 

Em mil viagens embarcado

Trago mil recordações

Palavras de sabedoria

 

Vou a todo e nenhum lado

Embarcando em ilusões

Sulcando mares dia a dia.

publicado por poetazarolho às 18:54 | link do post | comentar