Inimputável

 

O bem estar social

Não parece razoável

Por isso o presente sinal

P’ra torná-lo insustentável

 

P’ra concretizar sem prurido

Empobrecimento é inevitável

É lícito e para ser cumprido

Eu sei que não é agradável

 

Pobrezinho e agradecido

Por te deixarem viver

Neste equilíbrio instável

 

Agradece por teres morrido

Muito digno e a padecer

Na sociedade inimputável.

publicado por poetazarolho às 19:30 | link do post | comentar