Tinta negra

 

O povo fala nos muros

Escutem o que ele diz

Quando começam são puros

Mas não prevejo final feliz

 

A vida não é um drama

Mas sim uma teia pegada

Quem tem muito, muitos trama

Quem não tem, tem vida tramada

 

Nos muros palavras d’ordem

Anseios p’ra vidas futuras

À procura duma regra

 

As palavras também mordem

Podem ser muito duras

Fundo branco, tinta negra.

publicado por poetazarolho às 21:11 | link do post | comentar