Não

 

Um futuro sombrio

Sob o sol abrasador

Imagino, não sorrio

Não imagino tanta dor

 

É no Verão, faz frio

No silêncio um clamor

Alma perdida, sem fio

Dum passado sem sabor

 

Sombrio, sem futuro

O presente assustador

Um mestre, uma missão

 

Fio condutor, bom auguro

Um contacto com o amor

Uma esperança?... Não!

publicado por poetazarolho às 22:42 | link do post | comentar