Sim

 

Não há fio condutor

Qualquer mecha ou chama

Não venha o historiador

Agora ninguém o aclama

 

Não há feitos p’ra contar

Andamos por aqui desfeitos

Que futuro conquistar

Quando estaremos refeitos

 

Deste tempo sem sentido

Sem valores ou tradição

Por maldições acometido

 

Pelas trevas ensombrado

Cresce em nós a sensação

Dum futuro no passado.

publicado por poetazarolho às 19:06 | link do post | comentar