Compassos

Compassos II.jpg

Transformar tudo em poesia

Canhões em pano de fundo

Sentindo ao nascer do dia

As mil bombas por segundo

 

Desvanecer as explosões

Pela explosão dum poema

Poder criar mil ilusões

Como em telas de cinema

 

De volta à tela da vida

Logo o poema se esvai

Esventrado por um estilhaço

 

Poesia é uma causa perdida

De novo a explosão sobressai

E é das bombas o compasso.

publicado por poetazarolho às 00:26 | link do post | comentar