Matrix

Matrix II.jpg

Não é dos poetas na verdade

Nem dos vivos propriamente

Este mundo onde a realidade

Nunca assumiu ser diferente

 

Uma matriz de brutalidade

Assume o controlo da mente

Elimina o vírus da diversidade

Formata–nos definitivamente

 

Nos circuitos corre devagar

Com velocidade alucinante

A realidade virtual instalada

 

Corres para nunca alcançar

Essa realidade tão distante

Porque a mente foi formatada.

publicado por poetazarolho às 05:12 | link do post | comentar