Tempos assimétricos

 

Em tempos assimétricos

Maremotos de liberdade

Complementos poéticos

Inundou-se essa cidade

 

São dilúvios proféticos

Duma falsa honestidade

Com benefícos patéticos

Em jeito de caridade

 

Não tentemos explicar

Se o sabemos inexplicável

Estes tempos são p'ra ficar

 

Como solução recomendável

Devemos aprender a nadar

Na realidade indesejável.

publicado por poetazarolho às 17:21 | link do post | comentar