Serei chão e mar

 

Grândola foi entoada

E discursos silenciou

Não quero ouvir nada

Não é por aí que vou

 

Discursos não vou ouvir

Ouvir cantar também não

Uso o direito a dissidir

De toda e qualquer canção

 

Algo novo está p’ra vir

A seu tempo a decisão

Por agora vou aguardar

 

Sem chorar e sem sorrir

Como a terra serei chão

Como a água serei mar.

publicado por poetazarolho às 18:26 | link do post | comentar