A outra face

 

Ao mal opõe-se o bem

Numa infinita batalha

Ao mal oferece desdém

E logo o bem se espalha

 

Como sinal d’esperança

Num futuro da humanidade

Agora pleno de confiança

Onde o bem por necessidade

 

Passe a ser mais desejado

Em vez de chicote um carinho

Que o mal assim desdenhado

 

Se sinta no mundo sózinho

E seja finalmente forçado

A escolher outro caminho.

publicado por poetazarolho às 22:55 | link do post