Triste inquietuda

 

A inteligência esgotou-se

No mundo em desagregação

Não que a inteligência fosse

Algo em vias de extinção

 

Deixou de fazer sentido

Usá-la na interpretação

Do discurso desvalido

Proferido sem direcção

 

Para este verbo sem verbo

Basta cérebro sem cérebro

De inteligência esgotada

 

Ficamos presos ao nada

E a nossa triste inquietude

Não permite que se mude.

publicado por poetazarolho às 23:05 | link do post