Explosão

 

Próxima com cravos não

Que nós não somos parvos

Faça-se outra revolução

Com tiros em vez de cravos

 

Este povo tanto aguenta

Às mãos da mediocridade

Vai daí um dia rebenta

Espalhando fel de verdade

 

Será um veneno poderoso

Que minará forte o regime

E lá longe todos escutarão

 

Grito do povo antes receoso

Que alguém tanto comprime

Fazendo eclodir a explosão.

publicado por poetazarolho às 21:05 | link do post | comentar