Aparenta

 

Se vives da aparência

Acabarás por não ser

Nem terás consciência

Apenas queres parecer

 

Assim vives ocupado

Na tua não existência

E acabarás destronado

Pelo que julgas vivência

 

Mas que é apenas vazio

Preenchido com a presença

Dessa existência aparente

 

Essa realidade é desvio

Que cedo leva à descrença

E torna o ser inconsciente.

publicado por poetazarolho às 00:28 | link do post | comentar