Vazio

 

O século em que vivemos

É apenas uma criança

Mas em breve saberemos

Se ainda haverá esperança

 

Num futuro condizente

Com a memória passada

Ou se será deprimente

Esta pequena caminhada

 

Dos seres no universo

Logo a seguir ao desvio

O tempo será disperso

 

Sem contar anos a fio

Pl’o nada será submerso

É o início do vazio.

publicado por poetazarolho às 22:31 | link do post | comentar