Condenados

 

Não ouvimos ninguém gritar

Não vemos ninguém respeitar

Não ouvimos ninguém cantar

Não vemos ninguém dançar

 

Não sentimos ninguém a abraçar

Não sentimos perfume de ninguém

Não sentimos ninguém a beijar

Mortos ou vivos, estaremos bem?

 

Condenar à morte não é opção

Não actuamos em Seu nome

Mas teremos sido condenados?

 

Condenar à vida também não

Os que deixamos morrer à fome

Não poderiam ter sido ajudados?

publicado por poetazarolho às 14:30 | link do post