Quarta-feira, 07.12.11

Sonho de Portugal

 

Andam ávidos por dinheiro

O que não é nada de novo

Havia onde sacar primeiro

Mas andam a sacar ao povo

 

Povo que pagas, não bufes

A tua alegria não tem preço

Toca os ferrinhos e adufes

Qu’ist’inda é só o começo

 

Outros dias virão depois

Vais voltar pr’agricultura

Na sua forma mais artesanal

 

Dão-te uma junta de bois

Realizas farta a semeadura

O sonho deste teu Portugal.

publicado por poetazarolho às 23:34 | link do post | comentar | ver comentários (2)
Terça-feira, 06.12.11

Escudo recauchutado

 

Volta escudo estás perdoado

É certo que eras fraquinho

Mas éramos felizes a teu lado

Tão barato bebia o cafezinho

 

Voltará contigo a magreza

Dum consumo mais restrito

Mas controla-se a despesa

Que a gastar vejo-me aflito

 

Deixaremos de ser nobres

E de andar endividados

Voltaremos a ser pobres

 

Mas também mais honrados

De novo contaremos os cobres

Serão escudos recauchutados.

 

http://www.youtube.com/watch?v=Xl6NfQyNLto

publicado por poetazarolho às 22:07 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Segunda-feira, 05.12.11

Almoço no Eliseu

 

Haverá hoje uma decisão

Em Paris à hora do almoço

Sobre o futuro da união

E tomada sem alvoroço

 

Com apenas dois a decidir

De Merkosi já apelidados

Sinais dos tempos a vir

Os outros são amputados

 

É uma cabeça a mandar

Ai de quem não obedecer

Terá ordem de expulsão

 

Por isso devem repensar

É melhor ao clube pertencer

Ou então pedir a rescisão?

 

http://www.youtube.com/watch?v=bzu01gO3pi4

publicado por poetazarolho às 22:57 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Domingo, 04.12.11

Alma, céu e mar

 

Navegar é preciso

Disse um dia o poeta

Mas para ser conciso

Vejo navegadores da treta

 

Falou também do sal

Da alma, do céu e do mar

Mas não conheceu Portugal

Que agora está a chegar

 

Vou fingir que não sinto

A dor que estou a sentir

Vou dizer que não minto

 

Cada vez que vos mentir

E aquilo que pressinto

Não o estou a pressentir.

 

http://www.youtube.com/watch?v=UZkLt1vt2hI&feature=related

publicado por poetazarolho às 23:49 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Sábado, 03.12.11

Ich bin ein Berliner

 

Sou natural de Berlim

E um alemão de gema

A Ângela cá para mim

É nossa primeira-dama

 

Façam todos como eu

E reneguem a nação

Que para seres europeu

Terás que ser alemão

 

Berlim é a nossa capital

Decisões são no Reichstag

Temos que emendar a mão

 

Decidam bem ou decidam mal

Quem manda é o Bundestag

Ninguém pode dizer que não.

 

http://www.youtube.com/watch?v=ZkrrZ5zl30k

publicado por poetazarolho às 22:57 | link do post | comentar | ver comentários (2)

The end of the world

 

Acabem com os feriados

E também com afilhados

Acabem com o subsídio

Quem rouba pr’ó presídio

 

Acabem com a felicidade

Promovam a austeridade

Acabem com os direitos

Se reclamarem estão feitos

 

Mercado deve ser venerado

Tudo o resto incendiado

Deve ser deus a economia

 

Ser humano é uma epidemia

Promovam a grande guerra

Acabem com a vida na terra.

 

http://www.youtube.com/watch?v=Z0GFRcFm-aY

publicado por poetazarolho às 00:03 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Quinta-feira, 01.12.11

Entrega

 

Se ao lado de um grande

Te sentes grande também

A sua grandeza provém

Duma alma que se expande

 

Se um grande a teu lado

Te faz sentir pequenino

Certamente o seu destino

É nunca mais ser lembrado

 

Só é grande mesmo grande

Quem se conseguir impôr

À luz duma lei universal

 

Obedecerás sem que mande

Se essa for a lei do amor

Se esse fôr pequeno afinal.

 

http://www.youtube.com/watch?v=t2KX0xBlEZI&feature=player_embedded

publicado por poetazarolho às 19:03 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Mundo sem alma

 

Tudo pode ser invertido

Neste mundo virtual

E até já foi assumido

Será esse o mundo real

 

Que o real é consumido

A uma velocidade tal

Em breve o destino fatal

Deixará este desprevenido

 

Futuro mundo será binário

Constituído por memórias

Que não serão d’encantar

 

E quem disser o contrário

Anda a ler outras estórias

Nesta a alma não terá lugar.

publicado por poetazarolho às 01:46 | link do post | comentar | ver comentários (2)

Favorito

mais sobre mim

links

posts recentes

últ. comentários

Posts mais comentados

arquivos

pesquisar neste blog

 

subscrever feeds

blogs SAPO