Quarta-feira, 11.11.15

Oh yeah come on

Oh yeah come on.jpg

Sou alentejano cidadão

Em pleno no universo

Escrevo em língua de cão

Por vezes também em verso

 

Desta forma de expressão

Planto entendimento diverso

Oh yeah come on, ão, ão, ão

Or don’t come on, ao inverso

 

Se escrevendo alentejano

Me fizera assim entender

O inglês houvera preterido

 

Mas o ingleses do camano

Nunca quiseram aprender

O meu linguajar preferido.

publicado por poetazarolho às 00:17 | link do post | comentar | ver comentários (4)
Domingo, 08.11.15

Descartados

Descartados.jpg

Tu que estás em debandada

Arrastas um corpo doído

Uma alma esquartejada

Vês teu direito preterido

 

E a luz quase apagada

Pertences ao povo ferido

À humanidade infectada

Que não vê nem tem ouvido

 

E essa surdez a arrastará

Até aos confins do inferno

Tu serás um condenado

 

Já ninguém te quererá

Pois neste mundo moderno

Ser humano será descartado.

publicado por poetazarolho às 19:52 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Sexta-feira, 06.11.15

Existir

Existir.jpg

Cada tempo o tempo apanha

Mas nada de errado em nascer

Do outro lado da montanha

Onde é necessário parecer

 

Também aí há quem não pareça

Por ter sentimento diverso

E por isso desobedeça

À lei do actual universo

 

O universo da vaidade

Da luxúria e do possuir

Diga não em consciência

 

Use o manto da simplicidade

Baste-se com sítio pra dormir

Recuse vertiginosa inexistência.

publicado por poetazarolho às 23:32 | link do post | comentar | ver comentários (2)
Quinta-feira, 05.11.15

Cansado

Cansado.jpg

Novo dia amanheceu

À sombra da azinheira

Mas o sol não apareceu

Foi imensa a canseira

 

Pois logo me ocorreu

Procurar uma clareira

Onde pudesse ver o céu

Durante a manhã inteira

 

Mas o meu ser adormeceu

À sombra, sem sol na eira

Um pedaço assim se passou

 

Em que o sonho se deu

Acordei cansado sobremaneira

Porque este sonho me cansou.

publicado por poetazarolho às 23:57 | link do post | comentar | ver comentários (4)
Quarta-feira, 04.11.15

Cenários

Cenários.jpg

Para melhor se mudará

Quando se bate no fundo

Ou pelo menos esse será

O desejo mais profundo

 

A saída se encontrará

Pra regressar ao mundo

Química permanecerá

Nesse teu ser fecundo

 

Uma reacção produzirá

Empurrando o imundo

Para um plano secundário

 

Magia do ser sobressairá

Digo-to e não te confundo

Pois já vivi um tal cenário.

publicado por poetazarolho às 23:45 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Terça-feira, 03.11.15

Tempo que não resta

Tempo que não resta.jpg

O avião pousa no chão

Com almas despedaçadas

Arca de vidas estilhaçadas

Mas já não era avião

 

As palavras espalhadas

Não espelham a situação

De infinita consternação,

Caixas negras encontradas

 

Não trazem a explicação

Para estas vidas roubadas

Eram como flores plantadas

 

Numa imensa plantação

De esperança polvilhadas

E porquê assim ceifadas?

publicado por poetazarolho às 22:19 | link do post | comentar | ver comentários (3)
Domingo, 01.11.15

Caminharei

Caminharei.jpg

Não pode parar, caminhará

Parte cedo, a cada instante

Não porque seja importante

Um dia, alguém o seguirá

 

Sempre sentiremos cá

Seu espírito entusiasmante

Mesmo estando distante

Corrente não se quebrará

 

Pode nunca ser escutado

No seu modo de falar

Mas palavra é dom divino

 

Muito além do nosso fado

O importante é caminhar

Já que partir é o destino.

publicado por poetazarolho às 18:34 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Favorito

mais sobre mim

links

posts recentes

últ. comentários

Posts mais comentados

arquivos

pesquisar neste blog

 

subscrever feeds

blogs SAPO