Quinta-feira, 28.09.17

Produtos

Produtos.jpg

É na própria sociedade

Que reside tod’a loucura

Ocultando a sanidade

É o louco que perdura

 

E o que dizer da maldade

Que p’ra tod’o sempre dura

Subornando a verdade

Tornando a mentira pura

 

Sendo então o cidadão

O detentor por direito

Do produto da sua acção

 

Devia rejeitar o defeito

Mesmo feito por sua mão

Que o não deixa satisfeito.

publicado por poetazarolho às 00:08 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Sexta-feira, 15.09.17

Era digital

Era digital.jpg

Transitas em consciência

Sem apelo ao factor sorte

Parte da tua existência

Para lá da própria morte

 

Deambulas com insistência

Não sentes qualquer desnorte

E com toda a persistência

Tornas uma parte mais forte

 

Novas estas leis da vida

Não são nada de brutal

Apenas a transformação

 

Da parte que estava perdida

Numa nova que é digital

Chega assim a imortalização.

publicado por poetazarolho às 23:27 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Terça-feira, 12.09.17

Perfeita loucura

Perfeita loucura.jpg

Morro o que eu m’apetece

Duma saudade constante

No viver que não esquece

A vida em cada instante

 

Mas não morro de saudade

Pois é de saudade que vivo

Em busca de musicalidade

E num tom contemplativo

 

Contemplo o que aqui vai

Mas não sente o coração

O pulsar da partitura

 

E assim a pauta se esvai

Toda em desconstrucção

Numa perfeita loucura.

publicado por poetazarolho às 23:56 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Sábado, 09.09.17

As fases do mundo

As fases do mundo.jpg

Era um mundo pequenino

E todo ele me pertenceu

Mas deixei de ser menino

Logo esse mundo cresceu

 

Vivia ainda sem tino

Mas o mundo entendeu

Mostrar-me que o destino

Seria o que ele escreveu

 

Não ao género de comédia

Muito menos de romance

Nem em sonhos seria meu

 

Mais virado p’rá tragédia

Com destruição e suspense

E o super-herói não seria eu.

publicado por poetazarolho às 22:01 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Sexta-feira, 08.09.17

Verbo mudar

Verbo mudar.jpg

Não lhe muda a dimensão

Disso não estou seguro

Pois o verbo em expansão

Pode derrubar um muro

 

Sem ter a informação

Vinda lá desse futuro

Sob a forma dum clarão

Mantenho-me no escuro

 

Numa ignorância atroz

Onde nada asseguro

Nem mesmo essa vasteza

 

Aos sábios eu dou a voz

Nenhum deles esconjuro

Pois já trazem a certeza.

publicado por poetazarolho às 16:53 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Terça-feira, 05.09.17

Seremos digitais

Seremos digitais.jpg

O espaço no tempo zero

Foi coisa que ninguém viu

Mas então eu considero

Que desde ai o tempo fluiu

 

Abriu espaço ao desespero

Mas nunca o tempo ruiu

Avançou com muito esmero

E foi tudo aquilo que se viu

 

Chegados à encruzilhada

Nesta era que é digital

Muito mais está p’ra vir

 

Plasma é a nova estrada

Onde tu serás imortal

Zeros e uns a fluir.

publicado por poetazarolho às 20:05 | link do post | comentar | ver comentários (4)

Favorito

mais sobre mim

links

posts recentes

últ. comentários

Posts mais comentados

arquivos

pesquisar neste blog

 

subscrever feeds

blogs SAPO