Hibernados

 

Que seja uma noite eterna

Pois andam negros os dias

Aproveita a noite e hiberna

No negrume a alma vendias

 

Quando os espíritos reuniram

Para analisar a nossa situação

Depressa também decidiram

Vamos entrar em hibernação

 

Os deuses ao ver este cenário

Dum tão completo abandono

Meditaram no nosso calvário

 

Mas também lhes deu o sono

Hibernar tornou-se corolário

Destes indígenas sem patrono.

publicado por poetazarolho às 23:25 | link do post