Adivinha

 

O poder ofusca a razão

Política é o complemento

O capital é o condimento

E o ex-líbris é a corrupção

 

Passas a ser moeda de troca

De equilíbrios impossíveis

Os danos não são visíveis

Porque o mal não te toca

 

Vives na redoma de vidro

Blindado pela economia

És a nossa maior desilusão

 

Lixas o mais desfavorecido

Aquele que já não podia

E que faz das tripas coração.

publicado por poetazarolho às 00:03 | link do post