Envernizados

 

Temos a felicidade a metro

Por isso o nosso ar tão feliz

Gargalhada é ao cronómetro

Se fôr demais estala o verniz

 

Estala o verniz da felicidade

E nestes tempos de aparências

Isso é uma enorme fatalidade

Coloca a nu todas as carências

 

Para ocultar mais vale parecer

Mesmo estando envernizados

Só o ar feliz deve transparecer

 

Nem que estejamos infernizados

Com o que nos está a acontecer

Nestes tempos conturbados.

publicado por poetazarolho às 23:36 | link do post | comentar