Velho fado

 

Já gastei toda a poesia

Mas não vou ficar calado

Quem sabe talvez um dia

Comece a cantar o fado

 

Ó povo, meu lindo povo

Teu destino eu vou cantar

Não esperes um fado novo

Não cantarei pr’a t’enganar

 

Cantarei teu destino triste

Todo o sangue, toda a labuta

Eu cantarei sem ter vaidade

 

Um povo que não desiste

De novo partirá nesta luta

Por cá deixará a saudade.

publicado por poetazarolho às 22:28 | link do post