Inexistência

 

Por certo eu não sou eu

Também como poderia

Se eu fui eu por um dia

Tudo o resto se perdeu

 

Procuro e não encontro

Todo o eu que foi perdido

O eu que poderia ter sido

E resulta em desencontro

 

Sobram apenas fragmentos

De um eu e tudo em redor

Ter-se-á tornado irrelevante

 

Sobram apenas momentos

Desse que foi um eu menor

Desse eu que ficou distante.

publicado por poetazarolho às 23:59 | link do post | comentar