Não a mates

 

Vejo utopia ali ao longe

Impulsiona-me o caminhar

Fixa-se lá no horizonte

Mas não se deixa alcançar

 

Mais dez passos eu avanço

Utopia dez passos recua

Se não paras não te alcanço

Mas que utopia é a tua?

 

Nunca se alcança a utopia

Por isso nunca iremos parar

Por ela o mundo pula e avança

 

Imagina que a abraças um dia

Não há mais caminho pr’andar

Acabaste de matar a esperança.

publicado por poetazarolho às 20:59 | link do post